Amor... inato ou fabricado?

Não é por tu me pedires "Vamos tentar!", "Pensa em mim!", que eu vou deixar de ter a minha vida só para fazer aquilo que suplicas. Pelo contrário, penso que é da maneira que me afasto mais e as pessoas me metem mais impressão, por não sentirem ainda, nem um pouco da lei da vida. Custa-me o facto das pessoas, hoje em dia se resguardarem em ideias, que não nascem de dentro, nem tão pouco da vontade de cada um.
Para além disso, e em relação a outras pessoas, os casamentos feitos, em que arranjavam duas pessoas, que mais tarde selariam o seu "amor", são da idade da pedra e eu não tenciono ser alvo dessas tendências.
Cada vez me convenço mais que estou no meio de pessoas tão dementes e tão exaltadas, que se fossem como eu, fartavam-se de rir das figuras que fazem.
Os sentimentos têm que advir naturalmente, afinal estão no século XXI, ou estou enganada?

11 comentários:

inês lobo disse...

gostei *

Uma duvidazinha... disse...

Estas certíssima! Acho que evoluímos demasiado, que alguns não conseguem ver que os tempos mudaram...
Têm que compreender isso, e se adaptarem

Isabel disse...

Eu adoro isto e estou completamente de acordo querida Jezebel!

Suu disse...

obrigada minha querida :/

Cátia Vilhena disse...

Adorei!

Cátia Vilhena disse...

Oh, de nada :)
Ser diferente faz-nos sentir vivos

Cátia Vilhena disse...

Obrigada. Eu já seguia, ahah. Adoro o blog :)

ana moura disse...

podes crer:)
gostei*

Mafalda disse...

Gostei mesmo!

mary jane disse...

ai, mas todos os pais são assim!

Anónimo disse...

está verdadeiro, existem que pessoas que não teêm noção do que fazem ..
/wordsonthewind-ana.blogspot.com/